Biossíntese e colapso do colágeno

Um grande papel é desempenhado pelo colágeno para a pele, no qual é representado pelos tipos I e VII. Ela compõe 70% de suas proteínas e está localizada na camada dérmica, garantindo o tônus ​​da pele, força, elasticidade e participando da hidratação.


A biossíntese de colágeno na pele consiste em oito estágios. Cinco deles fluem em células de fibroblastos, três – extracelularmente.


Estágios intracelulares:
Estágio I – a síntese do pré-colágeno, precursor do colágeno, nos ribossomos das células.
II – clivagem de uma porção da cadeia petídica com a formação de pro-colágeno no retículo endoplasmático do fibroblasto.
III – oxidação de resíduos de aminoácidos sob a influência de enzimas e com a participação de “C”.
IV – transferência de glicose e galactose para pro-colágeno utilizando enzimas apropriadas.
V – formação de colágeno solúvel (tropocolágeno) na forma de uma hélice tripla.
Estágios extracelulares:
I – a secreção de tropocolágeno no meio extracelular e a eliminação de parte dos elos da molécula.
II – “reticulação” de partes de ponta a ponta de moléculas com a formação de colágeno insolúvel.
III – a conexão das moléculas do último “side-to-side” com a formação de fortes espirais inextensíveis.
Hormônios adrenais (glicocorticoides), hormônios sexuais e vitamina C têm uma grande influência na biossíntese.
A destruição de fibras de colágeno é constantemente sob a influência de colagenase e outras enzimas, “moendo-as” ainda mais. O esquema geral para a destruição desta proteína é o seguinte:
Os fibroblastos sintetizando o colágeno capturam suas fibras e sintetizam a colagenase.
A colagenase destrói as ligações moleculares das fibras de colágeno.

Macrófagos absorvem e digerem.
Os aminoácidos produzidos nesse processo estão envolvidos na construção de células e na regeneração do colágeno. Em um corpo jovem e saudável, o ciclo de destruição e síntese é de cerca de 1 mês, e a troca de colágeno é de 6 kg por 1 ano. Após 25-30 anos, a dissimilação aumenta constantemente e gradualmente começa a predominar sobre a síntese, com o resultado de que, com o aumento da idade, o conteúdo dessa proteína na pele diminui gradualmente. Recuperação de colágeno na meia idade já se aproxima de 3 kg. Saiba mais acessando Renova 31 Anvisa.
Suas fibras são destruídas e se tornam rígidas e frágeis, danificadas, colágeno fragmentado se acumula, fazendo com que a pele se torne menos durável e elástica, adelgaçante, sua frouxidão, manchas, secura devido à perda de capacidade protéica para segurar moléculas de água, rugas são formadas. A ptose (flacidez) resultante dos tecidos reduz a tensão mecânica das células, leva ao seu colapso (colapso) e danos aos fibroblastos que regulam a síntese de colágeno. Assim, o círculo vicioso se fecha. Portanto, o colágeno é chamado de proteína da juventude.